o mito do olho no olho

pela primeira vez na sua vida você vai conseguir olhar olho a olho o seu amado… imagino algum tipo de óculos cuja polarização permita estabelecer dois pontos focais virtuais que, com devido treino e perseverança, finalmente possibilite que cada um deles independentemente se relacione com cada pupila correspondente do parceiro. como acessório, lentes anti-reflexo de fácil inserção impedirão o reflexo do rosto de um na íris de outro, evitando a distração da figura e o ajuste intuitivo da distância focal para além do cristalino.

 


postado em 17 de abril de 2017, categoria miscelânia : , , , , ,

os clássicos mais populares do mundo

ocmpdm 01

ocmpdm 02

ocmpdm 03

ocmpdm 04

ocmpdm 05

ocmpdm 06

ocmpdm 07

ocmpdm 08

ocmpdm 09

ocmpdm 10

ocmpdm 11

ocmpdm 12

ocmpdm 13

ocmpdm 14

ocmpdm 15

ocmpdm 16

ocmpdm 17

ocmpdm 18

ocmpdm 19

ocmpdm 20

ocmpdm 21

ocmpdm 22

ocmpdm 23

ocmpdm 24

ocmpdm 25

ocmpdm 26

ocmpdm 27

ocmpdm 28

ocmpdm 29

ocmpdm 30

ocmpdm 31

ocmpdm 32

ocmpdm 33

ocmpdm 34


postado em 16 de janeiro de 2016, categoria miscelânia : , , , , ,

duas ideias não tão geniais

1. porta caneca para redes.

2015-07-22 ideia - porta café para redes

{ficar na rede dificulta a ingestão de café enquanto da leitura de livros deitado ou semi-deitado}

2. papel higiênico comestível.

{parece-me inapropriado que esse item atraia insetos. então, talvez possa ser algo como o copo descartável feito de fécula de mandioca e não como jelloware. se bem que agar-agar tem propriedades laxativas}

 


postado em 5 de setembro de 2015, categoria miscelânia : , , , , , , , ,

cartão de visitas #1

estou pensando num outro cartão de visita. o meu antigo é composto por fotos que tirei usando uma câmera de fotos alterada e o seu slogan é “henrique iwao, música experimental e afins”. e afins: uma construção especialmente gloriosa, da qual tenho verdadeiro orgulho. há melhor circunscrição de uma atividade do que essa? eu sou porque reúno o que sou em mim. ou isso, ou o que lyotard chamou de tensor, na economia libidinal, ou em outro lugar, mais especificamente (mas que serve aqui de metáfora): “nomes próprios tem aquela propriedade de atrair para si frases pertencentes a diferentes regimes e gêneros heterogêneos do discurso” {citado na introdução de libidinal economy,  athlone 1993, p. xxi; de the differend}.

fiz uns 50 versões diferentes do dito cujo, sem telefone (meio que pouco uso) e sem verso (o que facilitava um processo de impressão simples e cuidado por mim mesmo). o endereço do meu blog é o antigo, pois o cartão foi feito em 2010.

2010 adesivos todos m


postado em 10 de novembro de 2013, categoria fotografia, miscelânia : , , ,

quadrafonia

-> direita frente mas também -> direita trás
-> esquerda frente mas também -> esquerda trás

-> right ahead but also -> right back
-> left front but also -> left behind

logo à frente mas também: volto já
fronte esquerdo: deixado pra trás


postado em 21 de agosto de 2013, categoria miscelânia, prosa / poesia : , ,

Sobre Limões & Arte


Acredito mais em espremer um limão, obtendo assim sua expressão (o sumo), do que exprimir um sentimento.

O ego do artista fica assim dimensionado à escolha do limão (seu tamanho, sua cor, sua textura), ao corte (de que forma, em quantas partes, com que faca – de que tamanho, de que tipo), a detalhes de execução (velocidade, força, duração) e à vontade de ação.

O único problema que vejo em pensar assim é a inclusão no dimensionamento de fatores tais como a quantidade de limões e quais conceitos o artista acredita estarem por trás da ação – verdadeiros espelhos de água para o Narcísio Interior.

Por sofrer do estômago, amo o limão e sua acidez e não exito em usá-lo de manhã, em jejum.

Curiosamente, o limão foi trazido com sucesso pelos árabes para a Europa no século XV, em meio ao período posteriormente conhecido como Renascença, que assistiu a um amplo florescimento das práticas artísticas.

Citrus limon é o binome científico da planta, mas existem outras espécies do gênero, conhecidos como “limas”, bem como uma planta australiana associada ao limão, Backhousia citriodora, cujas folhas são usada para produzir óleos com cheiro de tipologia limonesca; dessa planta, no entanto, não há fruto passível de expressão.


postado em 18 de outubro de 2008, categoria miscelânia

teoria do universo hexadimensional


poucas pessoas se dão ao trabalho de pensar acerca do problema gerado pelo dimensionamento do universo. que possam existir dimensões enroladas umas dentro das outras considero bem possível, mas dificilmente a percepção delas passará nos próximos tempos de um leve tilintar do espírito ou um pequenino tremelique nos chacras superiores. desta forma e dado que a ciência gera meramente uma das formas de conhecimento possível das coisas, venho elaborando, com base em minha vivência pessoal, uma idéia, que aqui apresenta-se, mesmo que sob o risco de chafurdar em uma fundamentação ainda incipiente, como teoria.

existem 6 dimensões do espaço, todas elas claramente perceptíveis. somadas às 4 comumente utilizadas, está a dimensão da energia, onde costumamos ondular, mas que permite toda a sorte de movimentos exploratórios e pouco se relaciona com o espaço – muito embora possam coexistir níveis diferentes em um mesmo tempo, isso é de difícil reconhecimento dado nosso hábito de apenas progredirmos linearmente na dimensão temporal; & a do eixo de probabilidade. costumamos ficarmos imóveis nesse eixo, configurando apenas uma das milhares de possibilidades dimensionais em torno do nosso ego. às vezes ocorre porém de realizarmos flutuações nesse eixo; nessas ocasiões sentimos o peso da responsabilidade em nossas ações e percebemos o ocorrido como algo importante (na verdade, apenas desviamos um pouco do ponto estático no eixo ou variamos e voltamos ao mesmo). a trajetória quase inexistente porque sem movimentação considerável nessa dimensão é frequentemente chamada de “linha do destino”.

. espaço 1
. espaço 2
. espaço 3
. tempo
. energia
. eixo de probabilidade

em uma representação gráfica, temos o tempo como o tempo mesmo, a energia como níveis de cor das linhas, e o eixo da probabilidade como o grau de opacidade dos diferentes pontos existentes no dado momento (quase sempre apenas 1 com opacidade máxima).


postado em 16 de abril de 2008, categoria miscelânia

música contemporânea – uma coletânea


uma coletânea de música contemporânea, organizada por ano, com prioridade à peças de maior porte (o varèse & o nancarrow são erros a serem corrigidos). a imagem é algum de kooning; essa postagem agradece comentários daqueles que se (pre)ocupam com as artes da ordenação e da escolha.

[1911-13] anton webern…fünf stucke, op.10
[1912] arnold schoenberg…pierrot lunaire, op.21
[1922-23] edgard varèse…hyperprism
[1935] alban berg…violin concerto
[1943] oliver messiaen…visions de l’amen
[1946-48] john cage…sonatas and interludes
[1950-52] jean barraqué…sonate pour piano
[1955-57] karlheinz stockhausen…gruppen
[1959] giacinto scelsi…quatro pezzi per orchestra
[1960] conlon nancarrow…study for player piano no. 19
[1960] krzysztof penderecki…tren ofiarom hiroszimy
[1962] pierri henri…le voyage d’après le livre des morts tibétain
[1963-65] luciano berio…laborintus 2
[1964-81] la monte young…the well tuned piano (excerto)
[1969] bernard parmegiani…pop’ecletic
[1969] bernd alois zimmermann…reqüiem fur einem jungen dichter
[1971] györgy ligeti…lontano
[1973] mauricio kagel…1989
[1977] karlheinz stockhausen…sirius
[1975] gérard grisey…partiels
[1975] henri posseur…stravinski au futur
[1976] steve reich…music for 18 musicians
[1976] john cage…apartment house 1976
[1977-78] geroges aperghis…recitatión
[1977] iannis xenakis…la légende d’eer
[1981-84] pierre boulez…répons
[1982-85] brian ferneyhough…etudes trancendentales
[1984] michael finissy…catana
[1986] iannis xenakis…keqrops
[1986] tom johnson…the chord catalogue (excerpt – iv. the 1287 five-note chords)
[1987] luigi nono…no hay caminos, hay que caminar… andrei tarkovskij
[1987] morton feldman…for samuel beckett
[1990-92] claus-steffen mahnkopf…medusa
[1990-94] richard barrett…vanity
[1992] salvatore sciarrino…iv sonata
[1998] peter ablinger…voices and piano
[2001] helmut lachenmann…string quartet no. 3, “grido”
[2002-03] james clarke…string quartet
[2004] michael finissy…that ain’t shit
[2005] salvatore sciarrino…archeologia del telefono


postado em 21 de março de 2008, categoria miscelânia

um dia de compras


quarta-feira vou ao centro de são paulo com dois objetivos. passo a manhã inteira na procura de dois objetos, mas como são tortuosos todos os caminhos e o caminhar é longo, eis que, das profundezas mentais do andarilho emergem inúmeros temas, incríveis idéias e assuntos inalienáveis.

àqueles que insistem em incorrer nos terrível erros que fatalmente ocorrem quando se opera uma cafeteira italiana conjuntamente com outra atividade, mas de cunho entretedor (como ouvir um bucólico stockhausen na vitrola – “sternklang” -, assistir uma seção de clipes da shakira, tocar schubert ao piano ou ainda conversar animadamente sobre tipos serifados)… enfim, deixar o fogo alto, esquecê-la ou ainda omitir a água na composição dos ingredientes necessários causam danos, mais provavelmente à borracha interna, e é necessário achar um local onde se possa reparar a pequena máquina. pois que eu, após martins fontes e calçadão da são joão, encontro um local, e a todos os que precisam de um bom café caseiro fortificado, podem passar na comercial marupá, praça pedro lessa, 65.


a ilustração acima é provisória: assim que conseguir uma boa foto da capa e contra capa do disco “mahler para milhões”, publico-a no lugar. o fato é que, em cinco das seis lojas que compõe o cartel do disco paulistano, não pude encontrar a segunda sinfonia, com regência de leonard bersntein. achei a sétima e a nona, e acabei comprando duas bolachas do a-ha por 7 reais, incluso o disco oficial da turnê brasileira de 1989, uma espécie de best-hits dos três primeiros álbuns da banda.

quanto à gravação tão bem referenciada no encarte do disco que contém a primeira gravação mundial da sinfonia de luciano bério, ainda com 4 movimentos e com regência do próprio compositor; – estou a procurá-la, e ficarei eternamente grato ao receber informações sobre a possibilidade de aquisição desse disco tão precioso.

(reforçando: estou precisando com certa urgência, da segunda sinfonia de gustav mahler em vinil, com a regência do maestro leonard berstein)

segue a lista das seis lojas:

i. augusta discos – rua augusta, 1368, – tel: 3262-5132.
ii. discomania – rua augusta, 650, – tel: 3257-2925.
iii. promo sampa discos e livros ltda. – rua são joão, 556.
iv. revivendo discos & livros – rua martins fontes, 154, – tel: 3214-4543.
v. sampa discos ltda. – rua são joão, 572.
vi. stock cultural – rua da consolação, 871, – tel: 3258-3570.


postado em 24 de janeiro de 2008, categoria miscelânia